Como Fazer Com Que a Vida Útil dos Pneus do Carro Aumente

Quem não deseja que o tempo de vida útil dos pneus aumente? É possível sim que eles “vivam” mais tempo do que o recomendado. O tempo de vida útil de um pneu gira em torno de 20 a 40 mil quilômetros rodados, mas isto está diretamente ligado à qualidade do pneu que está instalado no veículo, bem como a forma de uso do carro e a sua manutenção. Dependendo da qualidade da pista usada para trafegar com mais frequência, a durabilidade dos pneus também pode sofrer alterações, tanto para mais quanto para menos.

 

Mesmo com tantas informações, algumas pessoas não sabem como fazer a manutenção correta dos pneus, o que pode comprometer sensivelmente a durabilidade  dos produtos. Pneus são itens de segurança e que devem sofrer as manutenções adequadas e indicadas tanto pelos fabricantes quanto pelas montadoras dos carros.

 

O primeiro passo para fazer com que um pneu tenha maior durabilidade é fazer os rodízios dentro do prazo indicado. Rodízio, balanceamento e alinhamento do carro, devem ser realizados a cada 10 mil quilômetros rodados – ou antes, caso durante os trajetos, o pneu passe por sobre um buraco, ou vala. Isto evita o que se conhece como sobrecarga dos pneus, que provoca o aumento do desgaste natural. Outra questão que se deve ter bastante atenção é no que diz respeito ao uso de produtos de limpeza – xampus, pretinhos, silicones, que podem não ser tão adequados quanto se imagine. É importante estar a tento e ler todas as recomendações de uso dos produtos e ver no manual que acompanha os pneus o que eles podem ou não receber de produto químico.

 

Cuidados com a calibragem também podem ser interessantes porque ajudam na economia de combustível. Caso o pneu esteja numa pressão de 10% abaixo do recomendado, ele poderá sofrer até 30% de redução em sua vida útil, uma vez que sofrem deformações.

 

Os cuidados com os pneus fazem toda a diferença também no quesito segurança. Não se deve dar arrancadas bruscas, que promovem “cantadas de pneus”. Elas causam desgaste porque há um atrito além do normal entre o chão e a borracha. A mesma medida deve ser seguida em relação às curvas em alta velocidade, que também provocam desgastes laterais, que alteram o formato original do pneu, além de causar um aumento de possíveis acidentes.