Como Funciona o Bluetooth nos Carros

O Bluetooth é uma tecnologia sem fio que permite a transmissão de dados e arquivos de forma rápida e segura. Trata-se de um sistema que funciona da seguinte forma: utiliza uma frequência de rádio de onda curta, de baixo alcance e que consome pouca energia. Quando estão dentro do raio de alcance, os dispositivos podem ser encontrados independentemente de sua localização, permitindo até que estejam em ambientes diferentes, dependendo da sua potência para que isso ocorra. A tecnologia foi incorporada ao universo dos veículos que, hoje, novinhos em folha, praticamente não saem das montadoras sem um kit multimídia completo e com Bluetooth.

 

Um kit Bluetooth instalado em um automóvel permite aos usuários conectaram seus telefones ativados por Bluetooth e usar as suas mais diversas funções, como efetuar, atender e desligar ligações, com o telefone no bolso ou fora do alcance das mãos. As ligações  são conectadas diretamente ao painel do carro, que não precisa receber nem toques especiais.

 

Algumas das mais importantes fabricantes de tecnologia do mundo, como Nokia, Johnson Controls, Raytel, Parrot e Motorola produzem o dispositivo para grandes fabricantes de veículos. O funcionamento é simples: operado por um botão no painel, ligado a cabos e a um microfone, que por sua vez são conectados ao sistema de som.

 

Entretanto, o investimento para instalação do kit não sai por menos de R$1.000,00, mas vale à pena, em particular para quem trafega muito e não querer levar multa ou provocar algum tipo de acidente por falta de atenção (na verdade, desvio de atenção do volante). O Blueooth também permite outras funções como a reprodução de músicas diretamente do dispositivo  móvel, de tablets e de computadores que tenham a mesma tecnologia. Basta fazer o processo de pareamento, que sincroniza o viva – voz com o celular que um identifica o outro. Feito isso, depois basta usar todos os recursos que a tecnologia oferece.

 

Vale ficar atento porque hoje boa parte dos automóveis já dispõe dessa tecnologia. Contudo é possível fazer a compra do kit chamado de adaptador e fazer a instalação o carro. De acordo com os especialistas, isto nem sempre é uma boa opção, pois além de sair caro, pode afetar a parte elétrica e eletrônica do automóvel, em particular se a instalação não for realizada por um profissional que entenda do procedimento. E várias são as consequências, como, por exemplo, alarme que dispara o tempo todo.