Dicas Para Comprar Carro Novo

Quem está planejando a compra de um carro novo, mas está será a primeira experiência de compra de um zero quilometro, deve ficar bem atento em alguns pontos para não comprar lagosta por gato. Sim, é isto mesmo. A compra de um carro zero quilômetro – aquele com um cheirinho inconfundível, pode ser uma surpresa bastante chocante ao final das contas.

Isto por que quando o fabricante e/ou a revendedora anunciam o valor do produto, este é apenas uma sugestão para oferecida para os modelos mais básicos que eles possuem. Portanto, não se deve encantar com ofertas que são apenas sugestões de um mercado que, mesmo em crise, além de ser altamente cobiçado, cobra os tubos por qualquer item que eles determinem como não sendo de série.

As exceções quanto a isto, somente podem se dar em casos extremos, como altíssima procura, ou ainda uma situação de lançamento (também não se recomenda comprar carros nesse momento, esperar um pouco mais diminui a especulação).

Exemplos recentes disso, são os modelos Polo e Polo Sedan 1.6 da Volkswagen os quais foram anunciados como “a sensação” do segmento. Contudo, o sensor de ré que aparecia na propaganda de venda do carro, não estava incluso no valor final, era a partir de… O veículo chegou a ter um acréscimo em seu preço de mais de R$660,00. O item completo, se comprado à parte, não sai por mais de R 300,00 em média, já com a instalação inclusa.

O mesmo se dá quando o assunto é referente à pintura do carro. Há, basicamente, dois tipos de pintura oferecidas pelo mercado automotivo: a pintura sólida, a metálica e a perolada. E disso, ninguém escapa quando compra um zero. Então, caneta na mão, para fazer as contas.

Todos os valores de veículos anunciados tanto pelo fabricante quanto pelo revendedor, são referentes à pintura sólida. A pintura sólida é aquela que recebe apenas pigmentos de cor, já a metálica é aquela que recebe partículas de alumínio que, na incidência da luz, transmite efeitos diferentes de tonalidade. A perolada, por sua vez, é aquela que recebe uma substância conhecida como “mica”, pérola tratada, que conforme a incidência de luz, pode revelar até três tonalidades diferentes de um mesmo tom. Dentre elas, a metálica é a mais cara.

Então, se a intenção é ter um carro com boa revenda no futuro, o ideal é não fazer economia. Mas, se o dinheiro estiver curto, prefira a pintura sólida. Mas cuide bem dela.