Estacionamento de Shopping Deve Ser Responsável Por Danos Nos Carros

O fim do ano se aproxima e a quantidade de carros circulando nas ruas também. Os congestionamentos aumentam significativamente, os estacionamentos lotam em especial os de shoppings e diversos outros centros comerciais. Encontrada a vaga, estacionado o carro, e seguir às compras. O que parece ser um divertimento para compensar o cansaço pode virar um tormento, sem que haja a real necessidade.

 

Isto porque muitas vezes, os donos dos veículos, ao retornarem às vagas utilizadas acabam encontrados seus carros com algum tipo de varia. Além de todo o transtorno e desgaste para encontrar uma vaga, o brasileiro, apaixonado por carros, pode sofrer alguns prejuízos sem saber que não precisa arcar com a conta. Isto mesmo. É importante saber que, em casos de danos, os estacionamentos de shoppings são os responsáveis por arcar com qualquer custo sobre os possíveis danos que o veículo ou moto, sofrerem em seus estacionamentos.

 

Quem oferece o serviço de estacionamento, independente de este ser pago ou não, é o responsável legal pela segurança e integridade do veículo, pelo prazo em que ele estiver estacionado no local. O dono do veículo deverá ser indenizado caso o bem tenha sofrido algum tipo de avaria – amassados, roubos de rádios, e até mesmo dos estepes. A lei que gerencia a responsabilidade de estacionamentos vale para shoppings, supermercados, restaurantes, ou qualquer tipo de estacionamento. É lei. Caso os responsáveis pelo local tentem fugir à responsabilidade pelos custos de reparação pelos danos, uma ação na justiça de pequenas causas deverá ser movida contra a parte.

 

Mas para solucionar o problema, caso venha a acontecer, alguns procedimentos não podem passar despercebidos. É importante que o dono do veículo estacionado no local tenha todas as provas legais para demonstrar que foi lesado. Não pagar por danos é considerado prática abusiva, uma vez que o comerciante, para ter determinados empreendimentos deve, legalmente, colocar à disposição dos contratantes do serviço seguros que cubram possíveis roubos, furtos e avarias.

 

Vale lembrar que notas fiscais, tíquetes com horário de entrada e saída, devem ser guardados. O primeiro procedimento, caso não haja acordo com o dono e/ou responsável pelo local, é ir à delegacia mais próxima e realizar um boletim de ocorrência, relatando e oficializando o ocorrido.

 

Em seguida, deve-se realizar um cálculo do prejuízo – fazer três orçamentos distintos, em caso de roubo de pneus, amassados, ou roubo de acessórios diversos. Leve ao tribunal de pequenas causas e peça a indenização.