Hábitos Que Podem Danificar Seu Carro

Não importa se o carro é zero ou seminovo. As revisões e manutenções preventivas deverão ser realizadas de qualquer modo. Não há um estudo realizado com critérios no Brasil, infelizmente, que comprovem de forma exata quanto tempo pode durar um carro, há apenas estimativas realizadas pelas próprias fábricas que, inclusive as estuda com o intuito de aprimorarem o desenvolvimento técnico e tecnológico de seus carros. E estas estimativas demonstraram que muitos condutores possuem maus hábitos não somente ao volante, mas também em relação aos cuidados com seus veículos, e que podem aumentar ainda mais o desgaste do bem durável.

 

E todos os engenheiros e mecânicos são unânimes quando o assunto é manutenção e cuidados que devem ser tomados com qualquer que seja o veículo.  A primeira recomendação, seja de um carro novo ou usado é a de que o manual que acompanha o veículo deve ser lido e todas as indicações de fábrica precisam ser tomadas, quer seja nas revisões, quer seja nas trocas de itens para prevenção e manutenção, a começar pela maneira que se dirige o carro.

 

Não se deve, por exemplo, movimentar o volante do carro com ele parado ou com as rodas travadas. A prática leva a uma sobrecarga no sistema hidráulico de direção. Isto pode provocar vazamentos, e comprometimento da vida útil da bomba hidráulica e da mangueira. Outra atitude que não deve ser realizada é passar em quebra-molas na diagonal. Este é um movimento repetido, em especial, por donos de carros que foram rebaixados, com a justificativa de “não raspar a lataria na parte de baixo”. Isto, na opinião de especialistas é tempo perdido. Não se deve, com carro nenhum, passar em quebra-molas na diagonal, uma vez que o movimento pode danificar o entre- eixos do veículo. Causa ruídos e desalinhamento do carro. O certo é passar sempre em linha reta.

 

Em descidas, nunca se deve deixar o câmbio em “ponto morto”, no intuito de fazer algum tipo de economia de combustível. Primeiro, porque há o equívoco: não se promove de forma alguma economia no uso de combustível. Segundo, porque a prática impede que o sistema de frenagem seja acionado em caso de necessidade. Há uma sobrecarga nos freios, embora alguns nem imaginem isto. Além disso, deixar o câmbio em ponto morto em descidas, pode ocasionar acidentes.

 

Nunca transite em locais alagados. O nível de água pode provocar infiltrações em componentes como o calço hidráulico, o que pode gerar danos no sistema do motor.