O Novo Ford Fusion Chega Bem Mais Caro

No último salão do automóvel, a montadora Ford apresentou poucas novidades em relação aos anos anteriores, bem como as suas concorrentes. Durante o evento, o novo Ford Fusion 2015 foi apresentado à imprensa especializada, e passou a embelezar as vitrines logo após a sua apresentação. Entretanto, houve mais expectativas do que mudanças e inovações propriamente ditas. O novo Ford Fusion no patamar de carros de luxo, superequipado, com alguns acréscimos, mas sem grandes radicalismos.

 

Entre as novidade incorporadas desde a versão de entrada do novo sedã, estão cintos de segurança traseiros infláveis, espelhos retrovisores externos rebatíveis, ajuste elétrico do banco do passageiros em seis posições e o Assistente de Emergência, recurso integrado ao sistema multimídia Sync que liga para o SAMU automaticamente ao detectar um acidente. Bem avaliado e bem pensado.

 

Porém, as inclusões de tais recursos tecnológicos, fez elevar o preço do sedã Ford Fusion. Antes, o preço sugerido pela montadora era de a partir de R$ 98.700; o sedã Ford Fusion agora tem preço inicial de R$ 102.900, em sua versão 2.5 Flex.

 

Com tal configuração – e preço – o carro sai de fábrica com uma série de itens: equipado com oito airbags ( frontais, laterais, cortina e joelhos), controle eletrônico de tração e estabilidade, ar-condicionado automático e digital de duas zonas, acendimento automático dos faróis, câmera de ré, rodas de liga leve de 17 polegadas e sistema de comunicação e entretenimento completo com tela sensível ao toque de 8 polegadas, rádio, CD Player, entrada USB e auxiliar, Bluetooth e sistema de navegação. Uma boa pedida para famílias com crianças.

 

Nas versões 2015, a Ford acrescentou ainda outras novidades, que não chegam a ser inovações: nas versões Titanium, houve o acréscimo de bancos refrigerados e ajuste elétrico do banco do passageiro em dez posições. Contudo, a mudança promoveu também um belo reajuste no preço da versão, que foi sugerido pela montadora ao preço de a partir de R$ 108.700,00 na linha 2014, e que agora passou a custar R$ R$ 113.900,00.

 

O motivo do acréscimo são os cintos infláveis, justifica-se a montadora. Segundo ela, estes novos cintos de segurança infláveis funcionam como os cintos comuns no dia a dia, e não apresentam qualquer alteração de conforto ou mesmo funcionalidade. Entretanto, no caso de uma colisão, assim como um airbag irão ser preenchidos de ar, a partir de um sistema integrado de comando, e vão proteger melhor a região do tronco dos passageiros que estão sentados nos bancos traseiros.