Qual é a Importância da Correia Dentada, é Bom Ficar de Olho

Dicas sobre carros sempre são muito importante, mesmo para aqueles que “acham” que já sabem tudo, como certo gênero costuma provocar. Entretanto, nem todo são mecânicos especialistas e é muito importante ter conhecimentos para cuidar de forma adequada de um veículo. O que não dispensa visitas programadas ao mecânico para a manutenção preventiva.

E elas devem ser feitas sempre, já que algumas peças dos carros têm sim prazo determinado de validade. É o caso da correia dentada. Já ouviu falar dela? A correia dentada é um componente de suma importância em um automóvel. Ela é quem faz a sincronia entre o virabrequim que transfere a força do motor às rodas e aos comandos de válvulas, além de ser responsável pela entrada e saída dos gases dos cilindros. Acontece que muitos se esquecem de fazer a manutenção preventiva desta peça nos automóveis, ou seja, a Correia Dentada deve ser trocada a cada 40.000 ou 60.000 km, dependendo das especificações técnicas de cada montadora. E o conselho é: siga exatamente o que diz cada fabricante.

Se caso a correia dentada passar do prazo de troca, ela pode se romper, ocasionando uma série de danos, bastante custosos, tanto ao veículo quanto ao bolso do dono. Ao se partir, a sincronia entre o virabrequim é quebrada e o pistão comandado pelo virabrequim atinge a válvula, a qual geralmente está aberta e com sua cabeça dentro do cilindro. Neste caso, as avarias podem se estender até mesmo ao próprio comando das válvulas e aos tuchos, os quais comandam a abertura das válvulas. Os danos podem se estender também até mesmo as bielas do motor.

Se o carro estiver em baixa rotação, os prejuízos podem ser até pequenos. Contudo, se o carro estiver em alta rotação, o que geralmente ocorre, com o travamento das válvulas e os choques com os pistões, o cabeçote do motor do carro poderá ficar totalmente danificado. Em casos menos graves, o motor pode ser enviado a uma retífica e sofrer reparo. Já em casos mais graves, é necessária a troca do motor e os custos podem ultrapassar os R$1.500,00.

Modelos de automóveis multiválvulas (16V, 10V ou 24V), demandam mais cuidado ainda, uma vez que são mais pesados e exigem da correia dentada.  Revisões e manutenções preventivas devem sempre ser feitas e, às vezes não somente a correia precisa ser trocada, como também o esticador, composto por um rolamento, o qual pode apresentar folgas e, em caso de travamentos, danifica a correia além de diminuir sua vida útil. Em situações mais extremas, a não troca do esticador pode até mesmo arrebentar a correia dentada. Fique atento à quilometragem do veículo e observe se há algum tipo de ruído “estranho” oriundo do motor, quando este estiver em baixa rotação. Há alguns modelos de carros, que possuem motores Endura, Rocam e Mercedes-Bens Classe A, dispensam a utilização da correia dentada, que foi substituída por um sistema de correntes metálicas. Isto também acontece em carros com tração nas quatro rodas.