Toyota Deve Se Preparar Para Lucro Estagnado Depois de Anos em Alta Nos Negócios

Os impulsos realizados por importações da fabricante devem infelizmente perder força. E a expectativa é que o lucro líquido da marca caia pelo menos 2,4% no período.

Recentemente a Toyota Motor alertou que todos os lucros poderão cair durante esta ano em uma medida que os impulsos de importações que a companhia e ainda outras montadoras acabaram ganhando com uma depreciação dos ienes nos últimos 18 meses de negócios.

De acordo com o presidente da marca Akio Toyoda toda a calmaria existente no horizonte acaba impondo um grande desafio ante dos principais eventos que acabaram marcando os seus cinco anos de cargo, como por exemplo os recalls realizados em 2010 e o tsunami de 2011 no Japão e um grande boicote de produtos japoneses por consumidores da China depois de uma grande disputa territorial ao final de 2012 por exemplo.

O que a maior montadora do mundo espera com isto

Podemos citar que a maior montadora do mundo espera com isto em vendas, um lucro líquido equivalente de mais de 2,4% a menos do que foi arrecadado no ano passado, com um equivalente a 17,5 bilhões de dólares até março de 2015. Esta cifra, apesar de ser bem alta, fica abaixo de 2,03 trilhões de ienes que são estimados por pelo menos 24 analistas nas pesquisas realizadas.

Apesar de a Toyota divulgar de forma típica previsões um tanto conservadoras, esta queda é realmente uma inversão um tanto acentuada de uma quase duplicação de lucros líquidos em exercício encerrado no dia 31 de março, com um recorde de 1,82 trilhões de ienes, tudo isto surge em um resultado que é impulsionado por exportações.

A marca citou para os jornalistas em Tóquio que todos os lucros deste ano poderão cair com a empresa enfrentando um mercado do Japão de automóveis em encolhimento, tudo isto atingindo por um aumento de impostos determinados de vendas em abril, e por um hiato existente no lançamento dos veículos. De acordo com os executivos no futuro é possível a Toyota desenvolver um crescimento considerado estável em longo prazo ao invés de oscilaer entre extremos de lucros.